O Coletivo

Fundado por Thaís Medeiros em 2008, o Coletivo Galeria Gruta é uma rede de artistas independentes voltado para o encontro e práticas artísticas articuladas do desejo e da necessidade de pesquisar e criar experimentos cênicos e instigar/provocar trocas artísticas e culturais apropriando-se de espaços públicos e privados.

O Coletivo caminha nas fronteiras entre o teatro, a performance e as artes visuais dialogando com as linguagens e trabalhando temas políticos e existenciais.

Tem como objetivo criar uma rede colaborativa de pesquisa cênica e de experimentação para promover arte de forma descentralizada buscando trazer para o momento presente a esfera do sensível… A arte pode nos trazer este tempo.

Nas grutas está gravada a memória da humanidade, nossa ancestralidade na forma de arte. Buscamos a arte como expressão do interno, da escuta de memórias e experiências pessoais.

Gruta gera, nutre, cria… Gruta esta cercada de mistérios, vilosidades. Gruta é local sagrado do religare com o divino e com a história da humanidade. Gruta provê abrigo e refúgio, gera um ambiente seguro para a criação, para a gestação, para rituais… O Coletivo pretende prover esse instante, esse espaço de abrigo, refugio e consciência para rituais artísticos.

Desde sua criação realiza intervenções, exposições, performances e shows apropriando-se de espaços públicos bem como participa de mostras e festivais nacionais e internacionais e não conta com apoio nem incentivos fiscais do governo e acontece por iniciativa e resistência/existência artística própria.

PARTICIPANTES ATUAIS

Thaís Medeiros

Thaís Medeiros

Atriz, diretora, dramaturga, artista plástica e produtora

Formada no Teatro Escola Macunaíma, realiza há 27 anos uma pesquisa continuada sobre o trabalho do ator. A partir de princípios desta arte elaborou uma metodologia própria tendo como base a consciência corporal. Sua pesquisa estende-se em experimentos na linguagem escrita e visual. De 1994 a 1997 fundou e dirigiu o Núcleo de Pesquisa Teatral A Mão 7 e Linguagem 10 Teatro Dança.

De fev/abril de 2018 participou da residência artística na Villa Waldberta (Munique, Alemanha) – Magdalena Munchen Saison 2018 onde apresentou as performances Tapete Manifesto, Janela Manifesto e Tríptico: Ossos, Batom Vermelho e Hamlet.

Em 2019 participou do Festival TRANSIT IX – Hope in Action na sede do Odin Teatret (Holstebro, Dinamarca) onde apresentou as performances Tapete Manifesto e Tríptico: Ossos, Batom Vermelho e Hamlet.

De 1991 a 2019 concebeu, dirigiu, atuou, ministrou workshops e fez dramaturgia de várias peças, performances e intervenções, dentre elas as Performance-Instalação “Tríptico: ossos, Batom Vermelho e Hamlet” e “Tapete Manifesto” apresentadas no Transit IX – Hope in Action (Holstebro, Dinamarca, 2019); Magdalena Munchen Saison (Munique, Alemanha, 2018); e Festival Multicidade (Rio de Janeiro, 2015). A performance Tapete Manifesto também foi apresentada no Sesc Pompeia (São Paulo, 2019); Sesc Santo Amaro (2018); Congresso 13º Mundo de Mulheres & Fazendo Gênero 11 (Florianópolis, 2017); Festival BaixoCentro (2013) e outros locais. As Intervenções urbanas “Cores e Traços da Origem” e Índio Brasileiro foram realizadas em São Paulo respectivamente em 2014 e 2015. As peças “O Jantar” e “O Narrador no Túmulo” foram realizadas no projeto “Pequenos Notáveis” na Oficina Cultural Oswald de Andrade.

Estudou antropologia teatral com Eugênio Barba e Júlia Varley (A Arte Secreta do Ator) e vários integrantes do Odin Teatret: Roberta Carreri, Jan Ferslev e Else Marie.

Entre 1990 e 2018 participou de treinamentos e oficinas de pesquisa do trabalho do ator com vários profissionais de teatro, dança e performance entre eles: Jill Greenhalgh; Violeta Luna; Thomas Richards e Mario Biagini (Workcenter of Jerzy Grotowski and Thomas Richards); Bonnie Bainbridge Cohen; Mark Taylor e Adriana Almeida (BMC – Body-Mind Centering e Formação em Integração do Movimento Somático); Tadashi Endo (Butoh Centrum MAMU); Neide Neves (Klauss Vianna); Carlos Simioni (Lume); e LAPCA (Laboratório de Processos de Criação Atorais) – UNESP.

Integra a rede internacional de mulheres do teatro contemporâneo “The Magdalena Project” e participou de vários festivais ligados à mesma, entre eles: Transit IX – Hope in Action (Holstebro, Dinamarca); Magdalena Munchen Saison 2018 (Munique, Alemanha); The Magdalena Project @25 (Cardiff – Reino Unido); Transit VI (Hosltebro –Dinamarca); Vértice Brasil (Florianópolis); e Multicidade (Rio de Janeiro).

Praticante de Kung Fu desde 2005, graduação faixa preta, estilo Choy Lay Fut no Instituto de Kung Fu Shaolin com Mestre Marco Serra.

Nas artes plásticas participou de várias exposições individuais e coletivas e foi contemplada com várias premiações nacionais e internacionais. Possui obras em diversas coleções particulares de vários países e no Museu de Arte do Parlamento de São Paulo.

Fundou em 2008 o Coletivo Galeria Gruta que realiza intervenções, performances, exposições e workshops em festivais nacionais e internacionais. O Coletivo caminha nas fronteiras entre teatro, performance e artes visuais desenvolvendo pesquisas e experimentos cênicos na cena contemporânea e usa a arte/poesia como espaço para questionar e refletir fenômenos existenciais e políticos.

Outras técnicas:

Balanceamento Muscular (kinesiology)

Terapeuta de TFT (Callahan Techniques -Thought Field Therapy)

Thaís Medeiros (Currículum Vitae)

.

.

Ulysses Sanchez

Ulysses Sanchez Artista plástico, ilustrador, performer e produtor

Formou-se em artes gráficas pela escola SENAI em 1990. Depois de trabalhar em agências de publicidade, dedicou-se às artes plásticas desenvolvendo desde 1995 um trabalho com vários materiais sobre diferentes suportes.

Realizou várias exposições individuais, entre elas “Trabalhos do Quotidiano” na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo e participou de diversas exposições coletivas, dentre elas: Centro Cultural Lauderdale House, Londres; III Mostra Internacional de Artes Visuais “O Ano Internacional do Planeta Terra; 22º Salão de Arte ACSP Pinheiros, SP; 100 Anos de Imigração Brasil-Japão; Mostra Internacional de Arte Contemporânea de Luxemburgo; III Salão Internacional do Petit Format na Casa do Intercâmbio Cultural São Paulo.

Conquistou Medalha de Ouro (2010) no “23° Salão da ACSP Pinheiros” em São Paulo, Menção Honrosa (2010) e Medalha de Prata (2009) no “Centro Cultural Lauderdale House” em Londres e participa do livro “O Brasil e o Mundo, os Melhores da Arte Brasileira” lançado em 2009 na Bienal do Livro do Rio de Janeiro. Recentemente venceu o concurso de graffiti “Arte na Porta DPaschoal”  (2017).

Possui obras em diversas coleções particulares de vários países e no Museu de Arte do Parlamento de São Paulo.

É cofundador do Coletivo Galeria Gruta que realiza intervenções, performances, exposições e workshops em festivais nacionais e internacionais. O Coletivo caminha nas fronteiras entre o teatro, a performance e as artes visuais desenvolvendo pesquisas e experimentos cênicos na cena contemporânea.

Participou como performer e fez a produção das intervenções de Thaís Medeiros “Cores e Traços da Origem” (2013), “Índio Brasileiro” (2014) e da performance instalação “Tapete Manifesto” realizada em diversos locais entre eles festivais nacionais e internacionais desde 2013. Também fez a produção da performance solo “Tríptico: Ossos, Batom Vermelho e Hamlet” de Thaís Medeiros apresentada desde 2015 em três festivais internacionais

É praticante de Kung Fu desde 2007, atualmente graduado faixa roxa  no estilo Louva-a-Deus Sete Estrelas com Mestre Renato Calheiros.

Ulysses Sanchez (Currículum Vitae)

.

.

Ivan Medeiros

Ivan Medeiros Músico, artista marcial,  produtor e performer

Músico, produtor e performer formado em administração na FEA-USP em 2011 e com pós-graduação em Gestão Cultural no Centro de Pesquisa e Formação do Sesc (CPF-SESC).

Fundou, foi baterista e produziu a Black Garoa Blues Band que propõe releituras de clássicos do gênero e que de 2008 a 2014 se apresentou em renomadas casas de shows como Bourbon Street, SESC e SESI. Atualmente é baterista da banda de rock autoral Tupis de Júpiter que gravou e lançou online o EP “Tá Rolando um Enquadro” (2015).

Trabalhou como gestor de projetos na Mina Cultural Produções por dois anos.

Cofundador do Coletivo Galeria Gruta que realiza intervenções, performances, exposições e workshops em festivais nacionais e internacionais. O Coletivo caminha nas fronteiras entre o teatro, a performance e as artes visuais desenvolvendo pesquisas e experimentos cênicos na cena contemporânea.

Atualmente trabalha como produtor executivo nas produtoras culturais Aymberê Produções Artísticas e Flow (SOFAR Sounds) e no Coletivo Galeria Gruta.

É praticante de Kung Fu desde 2005 atualmente graduado faixa preta 2o grau no estilo Choy Lay Fut com Mestre Marco Serra. Desde 2013 integra o grupo de Instrutores do Instituto de Kung Fu Shaolin.

.
.
.
Ivani Andrade
Ivani
Desde 2013 é integrante do coletivo Galeria Gruta. Participou da intervenção “Tapete Manifesto”, criada e concebida pela atriz e artista plástica Thaís Medeiros realizada no Festival BaixoCentro, SP (2013), no Teatro Globe SP, na Mostra de Cenas Curtas – ObsCENAs – Encontro de Mulheres artistas (novembro 2014), no Multicidade – Festival Internacional de Mulheres nas Artes Cênicas no Rio de Janeiro, e nas imediações do Teatro Municipal de São Paulo, ambas em 2015, Teatro de Arena Eugênio Kusnet,  Av Paulista, SP,  e Festival Faísca em Alfenas – MG – as três últimas em 2016; em 2017 no Festival Ventre em Teia, Suzano, SP, no Jornada Mulheres em Discurso, em Campinas, SP, no 13º Mundos de Mulheres em Florianópolis, SC, e no Centro Cultural Olido, SP; em 2018 no Instituto Goethe no evento “Diálogos Sobre Performance, Feminismo e Ativismo”.

Praticante de Kung Fu desde 2003, possui graduação de faixa preta primeiro grau no estilo Choy Lay Fut, e faixa verde no estilo Louva-Deus (Ton Long), ambas com Sifu Marco Serra no Instituto de Kung Fu Shaolin; participou de campeonatos nas modalidades boxe chinês e apresentação de katis nos anos 2004, 2006, 2008, 2009, 2010, 2011, 2012 e 2013, onde conquistou 3 madalhas de ouro, 4 de prata e 2 de bronze.

Possui formação no curso de drenagem linfática e curso de shiatsu pelo CEATA – Centro de estudos de acupuntura e terapias alternativas.

.

.

Valdir Ferreira

valdir-ferreira

Artista marcial praticante de capoeira e Kung Fu participa de diversos campeonatos.

Participou e fez assistência de produção na intervenção “Tapete Manifesto” criada e concebida pela atriz e artista plástica Thaís Medeiros, realizada no Multicidade – Festival Internacional de Mulheres nas Artes Cênicas no Rio de Janeiro, e nas imediações do Teatro Municipal de São Paulo, ambas em 2015; Teatro de Arena Eugênio Kusnet,  Av Paulista, SP,  e Festival Faísca em MG – as três últimas em 2016; em 2017 no Festival Ventre em Teia, Suzano, SP, no Jornada Mulheres em Discurso, em Campinas, SP, no 13º Mundos de Mulheres em Florianópolis, SC, e no Centro Cultural Olido, SP.

.

.

_________________________________________________________________________________

PESSOAS QUE OCUPARAM O COLETIVO GRUTA…

.

Patrícia Moino (Thayane Ribeiro)

Patrícia

Desde 2013 é integrante do coletivo Galeria Gruta. Participou das intervenções “Tapete Manifesto”, realizada no Festival BaixoCentro, SP (2013), no Multicidade – Festival Internacional de Mulheres nas Artes Cênicas no Rio de Janeiro, e nas imediações do Teatro Municipal de São Paulo, ambas em 2015, Teatro de Arena Eugênio Kusnet,  Av Paulista, SP,  e Festival Faísca em Alfenas – MG – as três últimas em 2016; em 2017 participou da performance no Centro Cultural Olido, SP e em 2018 no Instituto Goethe no evento “Diálogos Sobre Performance, Feminismo e Ativismo”.

Também participou da intervenção “Índio Brasileiro”, realizada nas imediações do Teatro Municipal de São Paulo (2014), ambas criadas e concebidas pela atriz e artista plástica Thaís Medeiros.

Patrícia Moino (Thayane Ribeiro) atualmente estuda Direito na Universidade Mackenzie, cursou Relações Internacionais na Universidade PUCSP e Técnico de Edificações – ETEC Guaracy Silveira.

Participou da banda Black Bacon Society como baixista e apresentou-se em 2011 no Encontro Musical do Etapa que ocorreu no Espaço Hakka, São Paulo.

Praticante de Kung Fu estilo Choy Lay Fut, desde 2005 com Sifu Marco Serra no Instituto de Kung Fu Shaolin. Participou de 2 campeonatos em 2012 na modalidade “kati” onde conquistou medalha de ouro e bronze.

.

.

Paola Luna
Paola Luna
 Atriz e produtora
Atriz desde a década de 70, diretora artística, sócia fundadora da produtora
Studioline Filmes, Rio de Janeiro, Paola Luna começa, na década de 80, a fase de experimentação na vídeo arte, participando de festivais nacionais e internacionais. Realiza curtas, documentários ecológicos entre outros trabalhos.  Na década 90 dirige Eventos  Multimídia onde atua e realiza a parte visual. Atualmente pesquisa as possibilidade de estimular planos paralelos de percepções através do corpo em ação e das imagens em movimento. De 1999 até 2004 curadora e coordenadora geral de Eventos Multimídia produzidos pelo Instituto de Cultura Italiano / Consulado da Itália. Desde 2008  integrante do Magdalena Project, uma rede internacional de mulheres no teatro contemporâneo.
Participou da intervenção “Tapete Manifesto”, criada e concebida pela atriz e artista plástica Thaís Medeiros realizada no Festival BaixoCentro (2013), e em 2015 nas ruas do centro, imediações do Teatro Municipal de São Paulo; em 2017 participou da performance no 13º Mundos de Mulheres em Florianópolis, SC.
Concebeu e articulou a produção do MULTICIDADE – Festival Internacional de Mulheres nas Artes Cênicas em 2015 no Rio de Janeiro. Foi o primeiro Festival na cidade dedicado à produção teatral de gênero e é ligado ao The Magdalena Project, e seu mais recente trabalho, a performance “Gotas D’água” foi apresentada no mesmo.
.

.

Daniele Nunes
Daniele
Daniele Nunes desde 2013 é integrante do coletivo Galeria Gruta.

Participou das intervenções “Tapete Manifesto”, realizada no Teatro Globe SP, na Mostra de Cenas Curtas – ObsCENAs – Encontro de Mulheres artistas (novembro 2014), “Índio Brasileiro”, (2014), e Tapete Manifesto (2015) realizadas nas imediações do Teatro Municipal de São Paulo, ambas criadas e concebidas pela atriz e artista plástica Thaís Medeiros.

Estudou Psicologia na Universidade Presbiteriana Mackenzie e Ciências Sociais na Universidade de São Paulo.

Praticante de Kung Fu desde 2009, possui graduação de faixa preta no estilo Louva-Deus (Ton Long); também pratica o estilo Choy Lay Fut, ambos com Sifu Marco Serra no Instituto de Kung Fu Shaolin, e participa de diversos cursos relacionados a essa tradicional arte marcial chinesa.

Protagonizou diversas peças teatrais, entre 2002 e 2007, como integrante do Grupo Teatral Malakh, criado e dirigido pela psicóloga e arte-educadora Lilian Florentino.

Participou de diversos projetos sociais voltados à implementação de atividades artístico-culturais em regiões carentes, tais como “Brincando de Aprender” e “Adivinha quem é?”, ambos apoiados pelo Programa para a Valorização de Iniciativas Culturais – Vai, da Prefeitura de São Paulo. Em 2004, participou do curso de Arte Contemporânea no Centro Cultural Tomie Otake, com a participação da artista plástica Ana Tavares e da arte- educadora Márcia Cirne e Lima.

.
.

Val Cassandri

Valéria

Participou das intervenções “Tapete Manifesto”, realizada no Festival BaixoCentro (2013), em 2017 no Centro Cultural Olido, SP e em 2018 no Instituto Goethe no evento “Diálogos Sobre Performance, Feminismo e Ativismo”; e “Cores e Traços da Origem”, realizada na Av. Paulista (2013), ambas criadas e concebidas pela atriz e artista plástica Thaís Medeiros.

Praticante de Kung Fu estilo Louva-a-Deus (Ton Long) possui graduação de faixa marrom avançado com Sifu Marco Serra no Instituto de Kung Fu Shaolin, participou dos campeonatos: 3th, 4th e 5th ITKFA Chinese Martial Arts Championchip 2013

.

.

Dafne Ramos

Dafne Ramos se formou em comunicação social na universidade de São Paulo e já participou de muitas atividades e círculos de mulheres voltados ao sagrado feminino. Atualmente trabalha em uma editora de livros infantis e é estudante de teatro e xamanismo.

Participou da performance Tapete Manifesto em 2017 Centro Cultural Olido, SP

.

Bárbara

Bárbara

Participou das intervenções “Tapete Manifesto”, realizada no Festival BaixoCentro (2013) e “Cores e Traços da Origem”, realizada na Av. Paulista (2013), ambas criadas e concebidas pela atriz e artista plástica Thaís Medeiros.

Pratica de Ioga desde 2008 (ICESP), dança de Salão por 4 anos, praticante de Kung Fu desde 2007 com Sifu Marco Serra no Instituto de Kung Fu Shaolin e atualmente praticante de trabalho muscular (PMSP) e ciclismo urbano (Bike)

.

.

Telma Cavalieri

Telma

Formada em Licenciatura plena em Artes Visuais pelo Instituto de Artes UNESP, trabalha como ilustradora e designer gráfico.

Participou da intervenção performática “Tapete Manifesto” no Festival BaixoCentro em 2013.

Praticante de kung fu desde 2006, treinou o estilo Choy Lay Fut até o 7º grau e atualmente se dedica ao estilo Shen Che Chuen (Serpente Sagrada).

.

.

Camila Simoni

Camila

Participou da intervenção “Índio Brasileiro”, realizada nas imediações do Teatro Municipal de São Paulo (2014), criada e concebida pela atriz e artista plástica Thaís Medeiros.

.

.

.

.

Fabio Melo

Fabio Melo Assunção

Participou das intervenções “Tapete Manifesto”, realizada no Festival BaixoCentro (2013) e “Índio Brasileiro”, realizada nas imediações do Teatro Municipal de São Paulo (2014), ambas criadas e concebidas pela atriz e artista plástica Thaís Medeiros.

.

.

Denilson Fernandes

Denilson

Participou da intervenção “Tapete Manifesto”, realizada no Festival BaixoCentro (2013), criada e concebida pela atriz e artista plástica Thaís Medeiros.

Artista marcial praticante de Kung Fu, possui graduação de faixa preta no estilo Louva-Deus (Ton Long); também pratica o estilo Choy Lay Fut e participa de diversos campeonatos e cursos relacionados a essa tradicional arte marcial chinesa.

.

.

Johnny Eskelsen

Johnny

Participou da intervenção “Tapete Manifesto”, realizada no Festival BaixoCentro (2013), criada e concebida pela atriz e artista plástica Thaís Medeiros.

Participou da banda Black Bacon Society e apresentou-se em 2011 no Encontro Musical do Etapa que ocorreu no Espaço Hakka, São Paulo.

.

.

Otavio Oliveira

otavio

Artista marcial, professor e administrador da ASKF TAOM, praticante de Kung Fu há mais de 20 anos, possui graduação de faixa preta no estilo Louva-Deus (Ton Long); participa de diversos campeonatos e ministra cursos relacionados a essa tradicional arte marcial chinesa.

Participou da intervenção “Cores e Traços da Origem”, realizada na Av Paulista (2013), criada e concebida pela atriz e artista plástica Thaís Medeiros.

.

.

Nilo Masocatto

Estudante de medicina, participou da intervenção “Cores e Traços da Origem”, realizada na Av Paulista (2013), criada e concebida pela atriz e artista plástica Thaís Medeiros.

.

.

Andréa Batista

deia-batista

Artista marcial, praticante de Kung Fu, participou da intervenção “Cores e Traços da Origem”, realizada na Av Paulista (2013), criada e concebida pela atriz e artista plástica Thaís Medeiros.

_______________________________________________________________________

COLABORADORES

.
.
Anna Julia Santos

Anna formou-se em Cinema, Rádio e TV na Universidade de São Paulo, com ênfase em direção de fotografia e montagem. Natural de Goiânia, mudou-se para São Paulo em 2008 e há mais de 8 anos atua profissionalmente como fotógrafa, cinegrafista e assistente de câmera. É co-criadora da Samaúma Turismo de Experiência, onde atua também na gestão e na produção do conteúdo fotográfico e audiovisual.

Gravou e editou o vídeo da Intervenção Performática “Tapete Manifesto”, realizada no Festival Faísca 2016.

.

.

Arô Ribeiro

Ator e Fotógrafo, São Paulo

Fotografou a Intervenção Performática “Tapete Manifesto”, realizada no Teatro Globe SP, na Mostra de Cenas Curtas – ObsCENAs – Encontro de Mulheres artistas (novembro 2014) e no Teatro de Arena Eugênio Kusnet (2016)

.

.

Beatriz Inaya

 Fotógrafa, São Paulo

Fotografou a Intervenção Performática “Tapete Manifesto”, realizada no Festival Faísca em Alfenas – MG.

Pesquisadora do tema, realizou entre outros fanzines produzidos manualmente, uma edição dedicada ao Tapete Manifesto

.

.

.

Christina Märzhäuser

Christina Märzhäuser é linguista, tradutora e docente no ensino superior, e no ensino de línguas à base de teatro na Alemanha e em Portugal.
Estudou Tradução (Alemao – Inglês) na AKAD Stuttgart, e Linguística (Româncias), Ciências de Educação na LMU Munique e na Universidade Nova de Lisboa; doutorou-se na LMU Munique e na FLUC Coimbra em Linguística Teórica e Aplicada.
Oficinas de teatro com Philipp Brehse (Open Space Performunion, Berlin / Living Theatre, New York), Rochus Schneider (Volxtheater Dörnberg), Jack Waldas (Yoga-Dance, Munique) e muitos outros.
Como tradutora, o meu foco são as artes e humanidades.
Trabalho também como interpretadora para eventos culturais.
.
.

Erick Gomes

Erick

Fotógrafo e físico – Fotografou a Intervenção “Cores e Traços da Origem” (2013).

Praticante de Kung Fu.

.

Johnny Macedo

Johnny Macedo

Fotógrafo, e designer gráfico, formado em Tecnologia em Design Gráfico pela FMU

Fotografou as Intervenções “Cores e Traços da Origem” (2013) e “Índio Brasileiro” (2014).

Seu projeto fotográfico Meanwhile Everywhere foi publicado em duas edições da revista zupi nos anos 2013 – 2014 e ainda alcançou canais importantes de mídia online.

Fotografou, gravou e dirigiu videoclipe, ensaio e show da banda Terminal.

.

.

Leo Rudá

168719_486181058919_7672392_n

Diretor de Fotografia e Operador de Câmera, São Paulo

Gravou e fotografou a Intervenção Performática “Tapete Manifesto”, realizada no Festival BaixoCentro (2013).

.

.

Luana Santos

Jornalista e assessora de imprensa.

Pós-graduada em Comunicação Corporativa pela Universidade Anhembi Morumbi, está na área de comunicação desde 2011 e já trabalhou com clientes dos setores de negócios, aviação civil, moda e do ramo artístico.

Em 2015 começou a trabalhar especificamente com o segmento cultural e desde então soma parcerias e divulga projetos voltados para as artes, música e teatro. Atualmente colabora com uma agência de comunicação especializada em cultura, onde atende unidades do Sesc e grupos musicais.

Fez assessoria de imprensa para o Coletivo Gruta e meiou a roda de conversa no evento “Diálogos Sobre Performance, Feminismo e Ativismo” no Goethe Institut SP em 01 de agosto de 2018.

.

Marcello Vitorino

“Dedica-se à fotografia desde 1994. Integrou a equipe de repórteres fotográficos do Diário do Grande ABC (1997 a 1999), onde iniciou pesquisa sobre a obra do fotógrafo João Colovatti que resultou na exposição “João Colovatti: revelações de um anti-herói” (2004), realizada no Salão de Exposições do Paço Municipal de Santo André. Em 2008 apresentou monografia sobre Colovatti no curso de pós-graduação em fotografia do Senac-SP.

Integrou o Núcleo de Fotografia da Casa do Olhar (1999 a 2007), tendo participado de diversas exposições e ações coletivas, como o projeto “Paranapiacaba: outras paragens” (2004) e o festival “Onde está a fotografia?” (2006).

Atende o mercado corporativo por meio da Fullpress, empresa de produção de conteúdo jornalístico e projetos culturais, da qual é sócio. Dedica-se ao trabalho autoral tendo publicado ou exposto ensaios como “Concrecidade” (2002), “Ex-fabris” (2006), “Encontro com o Divino” (2010) e “Agô” (2011).

Junto com Nilva Bianco, foi coordenador geral do projeto cultural “Instituto Criança é Vida 15 anos”, aprovado pela Lei Rouanet e executado entre 2011 e 2013. O projeto deu origem a oficinas de arte em comunidades de São Paulo, Santos, Paraty e Rio de Janeiro, e ao livro “Instituto Criança é Vida – Educando para a Saúde – 1996 a 2013”.

É professor de Fotografia no Museu de Arte Moderna de São Paulo desde 2012, onde ministra os cursos de Iniciação Fotográfica.”

Fotografou a performance Tapete Manifesto na Ocupação Cena Aberta FUNARTE 2016-  Teatro de Arena Eugênio Kusnet

.

Natalia Benite

Natalia Benite

NataliaBenite é articuladora cultural  e produtora de projetos culturais/sociais na região do interior do Estado de São Paulo. Especializou-se em gestão e elaboração de projetos sociais, realizando os cursos “Elaboração de projetos sociais” e “Captação de recursos para desenvolvimento organizacional” no Senac Jundiaí (2012). Se tornou facilitadora de projetos realizando o curso “Germinar – Desenvolvimento de Lideres Facilitadores a partir da Antroposofia”, no Vale do Ribeira/SP (2011). Foi coordenadora de Ponto de Cultura Arte a Campo,  em Campo Limpo Paulista, produzindo e desenvolvendo oficinas e eventos na área de cultura e meio ambiente na região (2012 – 2014). É uma das idealizadoras do Coletivo Coisarada – coletivo de produção cultural no interior de São Paulo – viabilizando Saraus Culturais nos municípios de Jundiaí, Várzea Pta. e Campo Limpo Pta. Realizou o curso de especialização em Gestão de Projetos e Empreendimentos Criativos (EAD SENAC – DF), promovido pelo Ministério da Cultura (MinC) (2013 – 2015). Atualmente é articuladora e produtora de projetos independentes e ações culturais na região de Jundiaí pela Articula Produções (2015). É produtora do Ssex Bbox, projeto de justiça social que realiza ações culturais fomentando a discussão de sexualidade e gênero.

Fez a iluminação da intervenção performática Tapete Manifesto no Festival Internacional de Cenas Curtas ObsCENAs (2014).

.

Rodrigo de Jesus

Rodrigo de Jesus

Formado em Educação Física pela UNIP, é fotógrafo na empresa Rodrigo Photografia.

Fotografou as Intervenções “Cores e Traços da Origem” (2013), “Índio Brasileiro” (2014) e “Tapete Manifesto” (2015).

Artista marcial praticante de Kung Fu, estilo Louva-Deus (Ton Long); também pratica o estilo Choy Lay Fut e já participou de diversos campeonatos e cursos relacionados a essa tradicional arte marcial chinesa.

.

Samuel Kassapian Junior

Samuel Kassapian

Fotógrafo amador desde os 9 anos, tendo seu pai, também fotógrafo, como grande incentivador. Menções honrosas no 3º e 4º São de Fotografia de São Caetano, atualmente adepto da Mobgrafia, onde consegue conciliar duas paixões, fotografia e bike.

Fez o registro fotográfico da performance Tapete Manifesto em 10/11/2017 no Centro Cultural Olido.

.

Sergio Hideyuki

Sergio

Participou das intervenções “Tapete Manifesto”, realizada no Festival BaixoCentro (2013) e “Cores e Traços da Origem”, realizada na Av. Paulista (2013), ambas criadas e concebidas pela atriz e artista plástica Thaís Medeiros.

Praticante de Kung Fu, possui graduação de faixa marrom avançado no estilo Choy Lay Fut com Sifu Marco Serra no Instituto de Kung Fu Shaolin

.

Um comentário sobre “O Coletivo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s